A_long_time_ago.png

Três anos se passaram desde a Batalha de Phindar.

Muita coisa mudou desde então. Por um momento pareceu que Revan iria vencer a guerra civil, mas a maré virou. O ressurgimento dos mandalorianos forçou Revan a desviar tropas e naves para caçá-los, sem sucesso. O novo Mandalore manteve as suas forças em constante movimento.

A República aproveitou o momento para reforçar suas linhas e barrar novos avanços. A destruição de Taris mostrou a face verdadeira de Revan e Malak. Embora muitos atribuam a destruição a uma vingança mandaloriana.

Três anos se passaram desde a última vez em que Ekul foi visto. Vendido ao Crucible como parte da vingança de Krova, the Hutt. Krova pagou o preço, com sua própria vida. Mas o sumiço de seu aprendiz foi um golpe para Kalpataru Ashta.

Kel Ku havia partido com Kad A´den na Innocence para continuar a luta contra Revan. Com o dinheiro que ele ganhou no jogo de sabbac, ele se tornou um contrabandista, usando a Innocence para transportar armas.

A última vez que soube de Rett Solo, ele estava em Corellia, liderando uma das células da resistência contra os Revanchistas.

Ein Mer e Herve continuavam suas pesquisas tentando adptar a Haritha no cruzador Interdictor capturado dos Revanchistas em Phindar e procurando descobrir mais sobre os artefatos dos Rakata. Eu os encontrei durante uma visita deles a Coruscant.

Mestre Karin Don voltou a Coruscant com sua padawan Aiel para falar com o Conselho Jedi.

Antes em Kotor

KOTOR

Shadow of revan